18 de maio de 2013

Resenha - Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Título: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban
Editora: Editora Rocco
Autora: J. K. Rowling
Páginas: 318
Classificação: 5|5
Onde Comprar:Saraiva   

Sinopse:
As aulas estão de volta a Hogwarts e Harry Potter não vê a hora de embarcar no Expresso a vapor que o levará de volta à escola de bruxaria. Mais uma vez suas férias na rua dos Alfeneiros, 4, foi triste e solitária. Tio Válter Dursley estava especialmente irritado com ele, porque seu amigo Rony Weasley tinha lhe telefonado. E ele não aceitava qualquer ligação de Harry com o mundo dos mágicos dentro de sua casa. A situação piorou ainda mais com a chegada de tia Guida, irmã de Válter. Harry já estava acostumado a ser humilhado pelos Dursley, mas quando tia Guida passou a ofender os pais de Harry, mortos pelo bruxo Voldemort, ele não agüentou e transformou-a num imenso balão. Irritado, fugiu da casa dos tios, indo se abrigar no Beco Diagonal.
Lá ele reencontra Rony e Hermione, seus melhores amigos em Hogwarts e, para sua surpresa, é procurado pelo próprio Ministro da Magia. Sem que Harry saiba, o ministro está preocupado com o garoto, pois fugiu da prisão de Azkaban o perigoso bruxo Sirius Black, que teria assassinado treze pessoas com um único feitiço e traído os pais de Harry, entregando-os a Voldemort. Sob forte escolta, o garoto é levado para Hogwarts.
Na escola as dificuldades são as de sempre: Severo Snape, o professor de Poções, o trata cada vez pior, enquanto ele tem de se esforçar nos treinos de quadribol, e levar Grifinória à vitória do campeonato. Para piorar a situação, os terríveis guardas de Azkaban, conhecidos por dementadores, estão de guarda nos portões da escola, caso Sirius Black tente algo contra Harry. Por fim, Harry tem de enfrentar seu inimigo para salvar Rony e obrigado a escolher entre matar ou não aquele que traiu seus pais.
Com muita ação, humor e magia, Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban traz de volta o gigante atrapalhado Rúbeo Hagrid, o sábio diretor Alvo Dumbledore, a exigente professora de transformação Minerva MacGonagall e o novo mestre Lupin, que guarda grandes surpresas para Harry.

Resenha:
Hoje vim falar do terceiro livro da saga Harry Potter, que, na minha opinião, é o melhor da série. Não era meu objetivo ler este livro, comecei a ler Rangers, só que depois de ter lido o segundo, precisava ler logo o terceiro! É difícil de explicar, mas a narrativa da J. K. quanto mais você lê, mais você quer!
Começamos a estória com Harry recebendo uns super presentes de seus amigos por coruja (eu quero uma Edwigs de estimação!) e também fazendo dever de casa escondido debaixo das cobertas. Assim é a vida do coitado, tendo que se esconder por ser diferente das crianças normais, tia Petúnia e tio Válter estão piores do que nunca, e para deixar a vida de Harry mais desgraçada ainda, nesse verão, eles receberam a visita da tia Guida, irmão do tio Válter, uma mulher que consegue com toda a certeza, ser muito pior que os tios de Harry. Felizmente, ela aprende a nunca ofender os pais de Harry na frente do bruxo!
Enfim, nesse verão em que Harry passou no mundo dos trouxas, muitas coisas ocorreram no mundo mágico, o principal acontecimento, foi a fuga de Sirius Black de Askaban, ele é o considerado um dos maiores bruxos das trevas da atualidade e matou um x número de pessoas numa rua tentando fugir, isso, na frente de vários trouxas.
Logo Harrry descobre que Sirius quer sua cabeça, então as aventuras começam, aos poucos, Harry vai descobrindo o que Sirius fez com o seus pais.
Esse livro é uma prova viva de que o jogo pode mudar dentre de 10 segundos, ou seja, que nem tudo é o que parece ser, dos livros que eu já li até agora, esse é o meu favorito, assim como os filmes. Um pouco cansativo verdade, principalmente nas partes em que há explicações muito demoradas lá no salgueiro... Vale muito á pena ler.
Uma coisa que ,me incomodou um pouco foi uma "falha" que a J. K. Rowling cometeu neste livro, aqui, somos apresentados ao vira-tempo, pode ser um pouco de spoiler, mas na altura do campeonato, um spoiler tá fora das condições! Mas, se há um objeto mágico que consegue fazer bruxos voltarem no tempo, por que eles não voltaram no tempo para a época em que Voldemort ainda era Tom Riddle e o mataram de uma vez por todas!?!? Foi um pequeno deslize que me incomodou só um pouquinho, mas que não tirou a graça da estória.
Posso dizer que em certas partes o livro é super... Não sei a palavra... Éhh... Posso dizer que, no jogo da Sonserina x Grifinória em que o Draco jogou pela primeira vez, eu suei, sério, eu meio que comecei a suar deitado na minha cama lendo o livro com a o a ligado! rsrs
Aliás, nesse livro, já comecei a pronunciar Grifinória direito, eu falava "Grifindória", não me perguntem o porquê!
Então é isso gente!
Fica a dica de leitura!
Até a próxima!
;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel