5 de junho de 2013

Resenha - Mar de Monstros


Título: Mar de Monstros
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Páginas: 285
Série: Percy Jackson e os Olimpianos
Classificação: 5|5
Onde Comprar: Saraiva


Sinopse:
O modo como ele disse meu nome me deu um frio na espinha. Ninguém me chamava de Perseu, a não ser aqueles que conheciam minha verdadeira identidade. Amigos... e inimigos. O ano de Percy foi surpreendentemente calmo. Nenhum monstro que colocasse os pés no campus de sua escola, nenhum acidente esquisito, nenhuma briga na sala de aula. Mas quando um inocente jogo de queimado entre ele e seus colegas torna-se uma disputa mortal contra uma tenebrosa gangue de gigantes canibais, as coisas ficam, digamos, feias. E a inesperada chagada de sua amiga Annabeth traz outras más notícias: as fronteiras mágicas que protegem o Acampamento Meio-Sangue foram envenenadas por um inimigo misterioso, e, a menos que um antídoto seja encontrado, o único porto seguro dos semideuses será destruído. Nesta vibrante e divertidíssima continuação da série iniciada com O ladrão de raios, Percy e seus amigos precisam se aventurar no Mar de Monstros para salvar o acampamento dos meios-sangues. Antes, porém, nosso herói entrará em confronto com um mistério atordoante sobre sua família - algo que o fará questionar se ser filho de Poseidon é uma honra ou uma terrível maldição.


Resenha:
Nossa, se O Ladrão de Raios foi previsível e incompleto esse tirou totalmente essa impressão da série, o livro é perfeito! Nesse livro, Percy está passando o ano letivo em uma escola o máximo comum possível, para pessoas com problemas. Lá, o garoto faz amizade com Tyson, um garoto grandão e todo fortão, que, mesmo tendo todo esse porte físico age como um bebezão, chora toda vez que o insultam e faz birra, não é para menos, já que, como Percy descobriu ele foi abandonado pelos pais e mora na rua. Pobre Tyson. Vale lembrar que a névoa continua, então Percy pode ver coisas que não são a realidade... O verão do semideus foi tranquilo, tranquilo demais para um filho dos três grandes, durante um jogo aparentemente comum de queimado, uma gangue de sanguinários chega no ginásio e claro, tenta matar Percy, mas ele tá com calça de educação física, sem a Contracorrente que sempre aparece no seu bolço da calça jeans, fazer o quê agora! Mas o seu protetor apareceu e em seguida Anabeth, que os tira dali levando Tyson junto por um motivo que eu não gostaria de saber em uma resenha do livro, então vamos deixar no ar... kk. O acampamento foi destruído, a árvore de Thalia foi envenenada e uma profecia estranha faz com que Percy fique confuso, além de tudo, o fiel amigo e companheiro dos meninos (e Anabeth) foi embora acusado de ter envenenado o pinheiro de Thalia. Percy começa a ter sonhos estranhos com Grover, que no final do livro anterior saiu em busca de Pam, que eu não me lembro exatamente o que é, só sei que ele ajuda a Terra a ficar bem e coisas do tipo, enfim, nos sonhos, Grover veste um vestido de noiva e parece desesperado, mal sabe Percy que aquele sonho era como telepatia, ambos conseguiam se ver. A questão, é que em algum lugar no Mar de Monstros (no mundo de meros mortais como nós chama-se triângulo das bermudas) Grover está sendo mantido em cativeiro por Polifermo o mais e mais impiedoso dos ciclopes, eles vão se casar em breve porque Polifermo tem a vista ruim e acha que Grover é uma ciclope. Enfim, a missão de Percy e Anabeth é ir atrás de Grover e pegar o Velocino de Ouro que também está com Plifermo. Eita missão difícil hein, mas no final quase tudo dá certo. Esse livro é demais, ele é demais. Entrou nos favoritos, o Riordan voltou a ser o que eu li no livro O Heróis Perdido! Recomendo! Leiam e se surpreendam porque tudo indica que é uma coisa e no final é outra totalmente diferente. Boa viajem nesse universo incrível se semideuses!
Então é isso gente!

Até a próxima!
;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fala galera! Vamos conversar um pouco sobre os comentários?

-> Eu adoro ler comentários, sério, gosto muito, mas a gente que é blogueiro percebe quando a pessoa leu o conteúdo do post e quando ela não leu. Por mais que você esteja comentando, a gente percebe que você não leu o post e isso não é muito legal, então comente coisas coerentes ao post, por favor, respeito quem escreveu o conteúdo lendo e comentado coisas inteligentes, comentários com "que legal! Comente no meu blog" não são legais.

-> Se você tem um blog de qualquer gênero, vou adorar conhecer. Talvez não vá lá no dia em que você comentou, ou no dia seguinte, mas mais dia menos dia vou conferir lá, e se você seguir o meu, eu sigo se volta sem nenhum problema!

-> Sem ofensas, por favor. Nunca passei por nenhum constrangimento durante o período de existência do blog e nem quero passar, então respeito é bom e todos gostam.

Comentem à vontade!
Abraços,
Gabriel